Menina engole bateria por acidente e desespera mãe em SP: 'Saí correndo'

Exames de raio-x monitoraram caminho de bateria pelo corpo de menina. — Foto: Reprodução/Arquivo pessoal


Uma menina de sete anos engoliu uma bateria enquanto brincava sozinha em seu quarto em Guarujá, no litoral de São Paulo. Até o momento, o objeto não causou danos internos ao corpo da criança e foi expelido naturalmente.


Em contato com o G1 na manhã desta sexta-feira (21), Flavia Santos, de 30 anos, mãe de Júlia, conta que a filha estava brincando no quarto dela quando a bateria soltou de uma lanterna. "Ela me disse que estava sentada, rodeada de brinquedos, entre eles uma lanterna. A bateria caiu do brinquedo, ela achou e decidiu 'chupar', como se fosse bala", relatou.

Publicidade
Por volta das 16h desta quarta-feira (19), a menina acabou engolindo a bateria e decidiu contar para a mãe. "Ela veio toda calma e disse: 'mãe, acho que engoli a bateria'. Eu perguntei se ela achava ou se tinha certeza e, quando ela confirmou, fiquei desesperada. Saí correndo com ela."

"Na minha casa não entra mais brinquedo com bateria pequena. Fiquei muito assustada, me falaram que alcalina era perigosa, que poderia estourar lá dentro", desabafa.

Flávia levou a filha para uma Unidade de Pronto Atendimento em Guarujá e, no caminho, foi pesquisando na internet o que poderia fazer para ajudar. "Vi que não podia tomar nem água. Também não tentei fazê-la vomitar. Eu não fazia ideia do que fazer, preferi correr para o pronto-socorro", disse. A menina foi atendida na UPA e encaminhada para o Hospital Santo Amaro, para receber uma endoscopia.

Uma menina de sete anos engoliu uma bateria enquanto brincava sozinha em seu quarto em Guarujá, no litoral de São Paulo. Até o momento, o objeto não causou danos internos ao corpo da criança e foi expelido naturalmente.

Em contato com o G1 na manhã desta sexta-feira (21), Flavia Santos, de 30 anos, mãe de Júlia, conta que a filha estava brincando no quarto dela quando a bateria soltou de uma lanterna. "Ela me disse que estava sentada, rodeada de brinquedos, entre eles uma lanterna. A bateria caiu do brinquedo, ela achou e decidiu 'chupar', como se fosse bala", relatou.

Por volta das 16h desta quarta-feira (19), a menina acabou engolindo a bateria e decidiu contar para a mãe. "Ela veio toda calma e disse: 'mãe, acho que engoli a bateria'. Eu perguntei se ela achava ou se tinha certeza e, quando ela confirmou, fiquei desesperada. Saí correndo com ela."

"Na minha casa não entra mais brinquedo com bateria pequena. Fiquei muito assustada, me falaram que alcalina era perigosa, que poderia estourar lá dentro", desabafa.

Flávia levou a filha para uma Unidade de Pronto Atendimento em Guarujá e, no caminho, foi pesquisando na internet o que poderia fazer para ajudar. "Vi que não podia tomar nem água. Também não tentei fazê-la vomitar. Eu não fazia ideia do que fazer, preferi correr para o pronto-socorro", disse. A menina foi atendida na UPA e encaminhada para o Hospital Santo Amaro, para receber uma endoscopia.

Do G1

Comentários