PM atira em cachorro durante abordagem ao dono do animal

Cachorro deve ter alta do veterinário ainda nesta sexta — Foto: Divulgação

Um cachorro levou um tiro de um policial militar em Itajaí, no Vale, na noite de quinta-feira (13) na Avenida Beira-Rio, uma das mais movimentadas da cidade. De acordo com moradores, os policiais abordaram o tutor do cão, que seria um flanelinha da região, e o animal começou a latir, sendo atingido em seguida por um disparo.

O cachorro está internado, mas fora de perigo, e deve ter alta ainda nesta sexta-feira (14), segundo a clínica veterinária para onde ele foi levado. A Polícia Militar informou em nota que o “cão chegou próximo a morder" o PM e que foi "necessário realizar um disparo com a arma de fogo”. Falou ainda que a Corregedoria da corporação deve apurar o caso.

Uma das pessoas que estava perto gravou o momento em que o cachorro, sem raça definida, foi socorrido. “Eu estava com meu namorado. Ouvimos só o barulho do tiro e o cachorro gritando. Estava todo mundo indignado, disseram que o cachorro latiu para ele, como o dono estava sendo abordando”, detalha Stefany Louise.

Além da viatura onde estavam os policiais que abordaram o homem, outras quatro foram ao local em apoio à ocorrência. No entanto, o cachorro foi socorrido por populares. “Vieram cinco viaturas, ficaram rindo da população, todo mundo pedindo ajuda para levar o cachorro para o veterinário e nenhum policial se mexeu”, disse Stefany.

Publicidade
Segundo a PM, os policiais acionaram a prefeitura para atendimento veterinário. O Instituto Itajaí Sustentável confirmou que foi chamado e que quando chegou no local, o cachorro já havia sido socorrido por moradores.

Nada de ilícito foi encontrado pela polícia com o tutor do animal e ele foi liberado. Ele já tem passagens pela polícia e por isso foi abordado, segundo a corporação. "Os policiais estavam realizando um procedimento de rotina, que é a abordagem a pessoas suspeitas”, informou a PM.

A PM e o Instituto Itajaí Sustentável não tinham informações sobre o estado de saúde do cachorro. O G1 não conseguiu contato com o tutor nem com moradores que teriam socorrido o animal. As clínicas veterinárias procuradas pelo G1 não atenderam o caso.

Stefany criticou a ação policial. “Um homem de farda, coturno, poderia ter feito qualquer outra coisa. Agora atirar do nada, de graça, numa via cheia de criança, cheia de gente passando é um descaso”, afirmou.

Investigação

A Polícia Militar informou que vai apurar o ocorrido. “A reação do cão à abordagem foi inesperada. Ele tentou se desvencilhar do animal andando para trás, mas acabou se desequilibrando momento em que o cão chegou próximo a mordê-lo sendo necessário realizar um disparo com a arma de fogo para preservar sua integridade física”, disse a nota da PM com base no relato policial.

O Instituto Itajaí Sustentável tentava informações sobre o cachorro na tarde desta sexta e disse que vai aguardar a investigação da PM antes de tomar alguma atitude.

“O Instituto Itajaí Sustentável vai aguardar a conclusão do procedimento junto à corregedoria Geral da PM, a qual respeitamos. A corregedoria está apurando se foi caso de legítima defesa ou se foi uma atitude desproporcional e que possa daí sim ensejado em algum crime ambiental”, afirmou Fábio da Veiga, diretor presidente do instituto.

Do G1

Comentários