Secretaria de Saúde diz que está investigando três possíveis casos de coronavírus no RN

Uma das pacientes investigadas pela Sesap fez exames no Hospital Giselda Trigueiro — Foto: Quézia Oliveira/Inter TV Cabugi

A Secretaria de Saúde Pública do Rio Grande do Norte confirmou nesta quarta-feira (26) que está investigando três possíveis casos de coronavírus no estado. De acordo com a Sesap, exames foram realizados nas pacientes para confirmar as suspeitas. Agora elas estão em quarentena domiciliar.

A Sesap informou que a investigação é para confirmar se os casos atendem, ou não os critérios para serem considerados suspeitos. Casos só são oficialmente reconhecidos como suspeitos após confirmação do Ministério da Saúde, o que ainda não ocorreu.

As pacientes são uma menina de 10 anos, que estava em um cruzeiro que ia pra Xangai e foi desviado pra Hong Kong, e duas mulheres, uma de 28 e outra de 45 anos, que viajaram para o norte da Itália. Não há grau de parentesco entre as três.

Publicidade
De acordo com a assessoria de imprensa da Secretaria, após os resultados desses procedimentos médicos a pasta convocará uma entrevista coletiva para divulgar mais informações.

O Ministério da Saúde afirmou também nesta quarta (26) que está comprovado o caso positivo de coronavírus na capital paulista. Este é o primeiro caso da doença no país e em toda a América Latina.

Confira as principais informações:

Brasil confirmou o primeiro caso de coronavírus no país
Trata-se de um homem que mora em SP, tem 61 anos, e veio da Itália
Ele está em quarentena domiciliar
30 pessoas da família estão sob observação
Além destes casos, há pacientes em investigação em todo o país
Outros 59 casos foram descartados
16 passageiros que estiveram no mesmo voo devem ser postos em observação – alguns podem ter pego conexão e ido para outros destinos

Caso confirmado em São Paulo

De acordo com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, o paciente com Doença pelo Coronavírus 2019 (Covid-19) chegou ao país vindo da Itália. Ele estava assintomático e, depois de alguns dias, procurou um serviço de saúde com sintomas respiratórios. Antes, ele havia participado de uma reunião familiar, o que levou o Ministério da Saúde a colocar 30 pessoas que tiveram contato com ele em observação.

O secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson Kleber de Oliveira, afirmou que ele é hipertenso e que por ter mais de 60 anos está entre os pacientes que apresentam maior risco, mas no caso dele específico, os sintomas são leves e a doença não evoluiu para um quadro mais grave.

O hospital Albert Einstein registrou a suspeita, fez um teste, que deu positivo. O caso foi para o Instituto Adolfo Lutz para contraprova, que foi concluído em três horas, comprovando a infecção por coronavírus. A média de conclusão do exame é de três dias, segundo Mandetta.

Do G1 RN

Comentários