About Me

Acampamento pró-Lava Jato muda nome e queima de camisas com rosto de Moro


Um dia depois de Sergio Moro deixar o governo de Jair Bolsonaro (sem partido), apoiadores da Operação Lava Jato acampados há dois anos em Curitiba queimaram camisas com o rosto do ex-juiz. O movimento ganhou fama há dois anos quando alguns manifestantes decidiram montar um acampamento em defesa das investigações em frente ao prédio da Justiça Federal na capital paranaense. 

A queima das camisetas com o rosto de Moro aconteceu ontem e foi transmitida hoje pelas redes sociais do movimento, que se disse "abatido e decepcionado" com a maneira como o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública saiu do governo Bolsonaro.


Na transmissão, os manifestantes aparecem vestidos inicialmente com camisas estampadas com a foto de Moro. Logo em seguida, eles as retiram do corpo e mostram uma com a foto do presidente Jair Bolsonaro. No vídeo, é possível ouvir muitos xingamentos ao ex-ministro. "Queima a cara dele!", diz alguém.

"O acampamento continua com a defesa da pátria e o combate ao comunismo. Tendo em vista tudo isso que está vindo à tona, continuamos com o presidente que é quem realmente está combatendo o comunismo. Estamos abatidos e decepcionados, mas vamos seguir em frente", disse ao UOL a fundadora do movimento, Paula Milani. Com a saída do ex-ministro do governo, o movimento agora chama-se "Acampamento Bolsonaro". Segundo os manifestantes, o grupo faz um processo de reavaliação das atitudes do então juiz da Lava Jato. Para eles, Moro "não estava lutando contra o comunismo, mas contra o PT".... 

- Veja mais em https://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2020/04/26/camisas-com-rosto-de-moro-sao-queimadas-por-apoiadores-da-lava-jato-no-pr.htm?cmpid=copiaecola

0 Comentários