About Me

Mãe usa fio de extensão para agredir filha e responde por tortura


Uma jovem de 25 anos vai responder pelo crime de tortura por agredir a filha, de 7, com requintes de crueldade em Montes Claros no Norte de Minas Gerais. O ex-companheiro da mulher também será indiciado, mas pelo crime de extorsão. O inquérito foi concluído pela Polícia Civil, nesta segunda-feira (27).

A mãe da criança foi presa após o ex filmá-la agredindo a filha dela. As imagens mostraram a vítima apanhando com fios de extensão e recebendo tapas no rosto e socos na cabeça. A menina teve ferimentos nas pernas, tórax e boca.


O homem estava separado da jovem há cerca de um ano e com o vídeo das agressões queria forçar uma reconciliação. Ele deixou de socorrer a garota alegando que ela não era filha dele. A prisão aconteceu pelos crimes de extorsão e tortura.

+ Mulher é presa por torturar filha de 7 anos com cabo de extensão

Investigação
De acordo com a Polícia Civil, o casal estava separado há um ano e havia medida protetiva para a mãe, porém, no dia 13 de abril, o homem confessou que foi até à casa da ex para levar leite para os dois filhos deles, quando presenciou as agressões e filmou.

O homem alegou, ainda, que a criança pegou preservativos da mãe para brincar, por isso, ela agrediu a filha. Relatou ainda que pediu para a mãe parar, mas não socorreu a vítima já que a menina não é filha dele.

A mulher, por sua vez, apresentou outra versão e disse que apenas corrigiu a filha, já que ela tinha pegado dinheiro escondido, afirmando que foi a primeira vez que bateu na criança, com quem tem relação de afeto.

A Polícia Civil investigou a vida do ex-casal. Contra a mulher nada foi encontrado, já em desfavor do homem há registros anteriores, ameaças e crime de trânsito.

Prisão
O fio de extensão, usado nas agressões, foi apreendido pela polícia, e os suspeitos foram autuados em flagrante.

A delegada Mônica Brandi disse que os elementos de comprovação de autoria e materialidade são inquestionáveis, sendo assim, concluiu pelo indiciamento dos suspeitos.

Vítima
A criança passou por avaliação psicológica e psiquiatra e encontra-se sob os cuidados de uma tia materna, sendo acompanhada pelo Conselho Tutelar.

“A Polícia Civil reforça a importância da população em denunciar crimes praticados contra crianças no seio familiar. Os pais têm o dever de zelar pelo bem-estar dos filhos, excessos devem ser denunciados e investigados pelos órgãos competentes”, disse a delegada.

Do BHAZ

0 Comentários