Nota de esclarecimento assinada por Elijane Paiva descreve caminho da traição do vice-prefeito Raimundo



NOTA DE ESCLARECIMENTO CONJUNTA

PARAQUEDAS, ARMAÇÕES, TRAIÇÕES E VITIMIZAÇÃO

Não foi nenhuma surpresa ver uma determinada "nota de esclarecimento" postada nas redes sociais na noite desta segunda-feira (06). No entanto, para ser um verdadeiro esclarecimento o autor deveria realmente mostrar os fatos baseado na verdade.

Inicia-se falando sobre o começo de sua vida pública como se esta fosse um legado. Mas esqueceu de falar que este início foi na verdade um pouso de paraquedas. Totalmente desconhecido no cenário político, foi o grupo liderado pelo ex-prefeito Néo quem o acolheu e deu a oportunidade de ser visto, lembrado e ter um mandato eletivo. Se fosse depender dos grupos políticos que comandavam a política local, o autor da inverdade travestida de nota de esclarecimento nunca teria nem surgido no contexto político de Umarizal.

Pois bem, no tal texto fala-se em traição, e já retratamos um pouco acima. Vamos entender o que é traição e quem realmente traiu?

Nunca na história política de Umarizal, um vice-prefeito foi tão valorizado e, conforme o próprio autor diz em sua nota, que participou assiduamente do projeto para uma nova Umarizal. Se houve a participação assídua é porque existia respeito e a confiança por parte do grupo. Se tudo isso era presente na convivência diária, como se pode falar em traição? Ou será que a traição não começou exatamente quando houve a filiação (na surdina) ao DEM sem ao menos a então presidente do Diretório Municipal ficar sabendo? (Iremos comentar mais a seguir) Será que o plano de vitimização não começou ali?

Também a partir dos seis meses de gestão, a postura do vice-prefeito sempre foi de ficar “em cima do muro”, e a motivação de todo isso ficou muito claro agora com sua manifestação de rebeldia e traição, tentando se fazer de vítima. Barganhou o quanto pode na situação e sempre tentou agradar a oposição. O jogo duplo é o perfil de quem não aprendeu no berço o que significa trair.

A partir dos seis meses de gestão, ainda em 2017, junto com seus irmãos, o escritor foi à rádio local e em uma entrevista bastante tendenciosa, e já se colocava como candidato contra a prefeita Elijane, ou seja, candidato da oposição, demonstrando claramente um futuro e inevitável rompimento com o grupo situacionista. Na mesma linha, nunca participou de nenhuma outra entrevista em nenhum outro meio de comunicação ao lado da prefeita Elijane Paiva.

Logo após a eleição de 2018, o escrevinhador mandou realizar uma pesquisa eleitoral confrontando diretamente a própria prefeita Elijane Paiva e seu esposo, ex-prefeito Néo. Naquele momento, satisfeito com o resultado obtido, levou em mãos os números até o deputado estadual Getúlio Rêgo, que de forma imatura acreditou no resultado fabricado e desde então, deu início a um clima de disputa pela sucessão municipal e gerando um desgaste com o parlamentar, líder do Democratas na região.

O vice-prefeito, já pondo em prática seu plano de traição, começou a não estar mais ao lado da própria prefeita nos inúmeros eventos sociais e os realizados pelo município. E uns poucos que deveria ir representando a prefeita, sempre fazia como autopromoção e se beneficiando das situações. Esse foi sempre o papel de adversário que se tinha dentro do próprio grupo promovido de forma constante e sorrateira.

Vale lembrar que o "paraquedista" era filiado a um outro partido e de forma ardilosa, sem nenhum comunicado à então presidente do diretório municipal (Elijane Paiva), se filiou ao DEM. Certamente já colocando em prática o seu plano de rompimento. Mesmo assim, foi beneficiado pelo governo do estado, aliado desde 2018 da gestão municipal, indicando que o caminho natural para o grupo permanecer unido (inclusive criando expectativa no próprio PT) seria a sua filiação no Partido dos Trabalhadores. 

Ao se colocar no papel de traído, quando na verdade sempre agiu como traidor, é uma clara tentativa de se vitimar e tentar barganhar politicamente. Vale ainda expor que há mais de dois meses que o próprio traidor clamava nos corredores da prefeitura e nos quatro cantos da cidade que não sairia do DEM, mesmo sendo agraciado pelo governo do PT e sabendo que a prefeita poderia mudar de partido só para manter o grupo unido e dessa forma pré-anunciando o seu premeditado rompimento.

Para deixar claro, a prefeita Elijane Paiva foi a última pessoa a se filiar ao PSB. E a postura da Chefe do Executivo foi exatamente de cautela e aguardando, até o último minuto, um posicionamento do seu vice-prefeito e do deputado Getúlio Rêgo, que embarcou nessa jogada sórdida e passou a agir de forma a expulsar a prefeita Elijane do DEM.

Além de todo esse contexto com o vice-prefeito, ainda cabe informar que aliados e representantes do próprio deputado Getúlio Rêgo, a saber o vereador Chico de Brancar entre outros, esbravejavam que o parlamentar afirmava taxativamente que ele jamais apoiaria à reeleição de Elijane. Como permanecer em um partido que já se anunciava a traição e a cassação ao direito de uma nova disputa eleitoral?

Encerramos estes esclarecimentos chamando a atenção dos leitores para a nota de esclarecimento que a prefeita Elijane Paiva emitiu no último sábado (04), onde relatou todos os detalhes de como aconteceu o desgaste dentro do próprio partido até a sua decisão em mudar de agremiação partidária. Os maiores responsáveis pelo desgaste entre o grupo situacionista e o deputado Getúlio tem nomes e sobrenomes. Os quais são os principais causadores de tudo que aconteceu até o momento.

A armação que foi cirurgicamente planejada de forma enganadora para expulsar a prefeita Elijane do DEM, ações que foram efetivadas pelo próprio deputado Getúlio Rêgo, quando destituiu o diretório municipal do partido enquanto a prefeita Elijane Paiva era presidente, é o resultado de um conluio político que expõe as vísceras do jogo sujo de alguns que fazem da política a sua perpetuação no poder a qualquer custo.

Os interesses individuais que abriram os esgotos dos bastidores da política de Umarizal dentro do Democratas que tem provocado essa catástrofe, que fez até mesmo o vereador Jatão da Rádio se enojar e abandonar o seu único partido desde o início de sua vida como militante político. Tais interesses certamente serão avaliados pelo povo heroico de nossa cidade e dará a resposta para essa jogatina.

Quem conhece os bastidores sabe bem quem traiu quem.

Assinam este ESCLARECIMENTO:

Elijane Paiva de Freitas
Prefeita Municipal de Umarizal

Manoel Paulo Cavalcante
Secretário Chefe da Casa Civil

Marcos Antonio de Oliveira
Vereador

Maykon Ricard Cavalcante Nunes
Vereador

Antonio Gilmar de Freitas Oliveira
Vereador

Francisco Jadson Xavier
Vereador

Paulo Marcio de Lima Fernandes
1º Suplente de Vereador

Comentários