About Me

Vítima de coronavírus foi medicada 3 vezes com xarope, diz filho


Um mototaxista do Amapá faleceu depois de passar três semanas com os sintomas do novo coronavírus. De acordo com a família dele, Alessandro Santos Bonifácio, de 47 anos, procurou por três vezes Unidades Básicas de Saúde (UBSs) da capital Macapá com tosse seca, diarreia e febre alta, entre o fim de março e o início de abril, mas o caso foi tratado como uma gripe comum.


Wenderson Felipe Batista contou que o pai foi medicado com xarope para aliviar a tosse e falta de ar e orientado a voltar para casa. No dia seguinte, ele piorou e foi levado novamente à unidade de saúde. De novo, a recomendação foi que retornasse para casa.

Ainda segundo a família, o primeiro teste para o coronavírus feito não detectou que o mototaxista estava com a Covid-19. “Meu pai não dava mais conta nem de andar sozinho. Estava muito fraco. Esperamos o teste rápido, peguei o resultado e levei para o médico. Ele me disse que meu pai não estava com coronavírus e passou um anti-inflamatório e, de novo, um xarope”, disse Wenderson ao portal Uol.

A doença só foi confirmada no Hospital de Emergências do Macapá, onde Alessandro foi internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), mas faleceu horas depois na última terça-feira (14/04). Pelas redes sociais, Wenderson lamentou a morte do pai. “Ainda não caiu a ficha que o senhor partiu pra outro mundo. Mas que seja feita a vontade de Deus, ele precisou do meu pai. Vai deixar eternas saudades”, desabafou.

Do Metrópoles

0 Comentários