About Me

Álcool em gel pode ser perigoso para crianças. Saiba quais os cuidados


Uma menina de sete anos ficou internada após sofrer uma suposta intoxicação por álcool em gel no Distrito Federal, em Brasília. De acordo com o pai, ela teve tontura e chegou a perder a consciência após higienizar as mãos com o produto. Segundo a médica que atendeu a criança, isso aconteceu porque ela inalou acidentalmente a substância.

Lavar as mãos com água e sabão até a altura dos punhos ou fazer a higienização com álcool em gel 70% é uma das principais recomendações da OMS (Organização Mundial da Saúde) para prevenir o contágio pelo novo coronavírus. Entretanto, os pais devem ficar atentos e ajudar seus filhos a fazer isso da maneira correta.

Caso raro
O pediatra e toxicologista Anthony Wong, diretor do Centro de Assistência Toxicológica do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, afirma que casos como o da menina de Brasília são muito raros.

Segundo Wong, para acontecer uma intoxicação nesse nível, a criança precisa ter inalado uma quantidade muito grande de álcool em gel ou ingerido o produto,

"Quando você inala álcool, ele é absorvido pela mucosa nasal e pelo pulmão. Assim, ele entra no sangue e, em grandes quantidades, provoca embriaguez", esclarece.

"Mas, no caso dessa criança, deve ter acontecido algo a mais do que simplesmente inalar. Ela pode até ter tomado", opina o pediatra.

Wong explica que o álcool em gel 70% contém em sua composição ágar - uma substância que o deixa mais consistente e também é encontrada em alimentos como gelatina, geleia e sorvetes - e álcool etilíco numa concentração duas vezes maior que a presente na cachaça: 37%.

É essa caracteristíca que pode causar o efeito de embriaguez. Ele diz que tomar meia xícara de café já seria suficiente para deixar uma criança nesse estado, por exemplo. "Mas varia conforme o tamanho da pessoa", observa.

Cuidado com a exposição ao calor
O especialista aconselha que o álcool em gel fique longe do alcance de crianças. Ele também alerta para o fato de que muitas pessoas estão carregando o produto dentro do carro. "Se a temperatura dentro do veículo estiver em torno dos 60 graus, o álcool pode evaporar e explodir"

O médico explica que isso acontece porque o álcool é rico em hidrogênio, que ao se misturar com o oxigênio do ar provoca a reação de combustão. Mas a evaporação é mais difícil se ele está na forma de gel.

Do r7

0 Comentários