About Me

Homem ofende negros em ônibus: “Preto é tudo safado”

Foto: Igo Estrela/Metrópoles 

Um homem foi preso em flagrante por injúria racial, ameaça e discriminação racial depois de ofender passageiros negros dentro de um ônibus que seguia de Sobradinho para a Asa Norte. O crime ocorreu na última sexta-feira (10/7).

Segundo dados da ocorrência registrada pela Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), uma das vítimas relatou que estava dentro do ônibus quando um homem, de identidade desconhecida pela declarante, entrou no veículo e, desde o momento em que viu pessoas negras começou a gritar, dizendo que odiava a raça, que “preto era tudo safado e só gostava de dinheiro do governo”.

Afirmou ainda que gostava de “provocar os pretos” para que eles viessem para cima e ele pudesse revidar com facadas.

Ao chegar em frente à 2ª Delegacia de Polícia (Asa Norte), o motorista do coletivo parou o ônibus, momento em que o homem tirou uma faca de serra e instigou as vítimas.

Publicidade

Após ofensas e ameaças, o suspeito foi identificado como morador de rua. Ainda de acordo com o boletim da PCDF, ele costuma perambular por toda a cidade. Ao ser questionado se já possuía passagem, afirmou que já foi preso por racismo anteriormente, e que, desde a data anterior ao ocorrido, estava fazendo a ingestão de bebida alcoólica e remédios antidepressivos.

Em depoimento à polícia, o suspeito afirmou ainda que estava dentro do ônibus e começou a falar sozinho, pois já tem esse costume. Por ter ingerido bebida alcoólica, também teve “o desejo de falar o que pensa”.

Foi então que uma mulher e um “negão grandão”, segundo ele, começaram a lhe ofender e por isso ele iniciou as agressões verbais. Em seu depoimento, ainda mencionou que uma “branquela” que estava ao seu lado disse que ele estava exagerando em suas palavras e ressaltou que o “negão” queria agredi-lo e foi por esse motivo que puxou a faca de sua cintura.

Ele foi liberado por força de alvará de soltura, após ser autuado pelos crimes de injúria racial, ameaça e discriminação racial.

Do Metrópoles 

0 Comentários