About Me

Polícia Civil investiga fraude em emissão de 1.500 carteiras de habilitação no RN

Foto: G1

A Polícia Civil deflagrou nesta quinta-feira (27) uma operação que investiga a emissão fraudulenta de Carteiras Nacionais de Habilitação (CNH).

Foram cumpridos 9 mandados de busca e apreensão em Natal, Mossoró, Parnamirim e ainda em Foz do Iguaçu, no Paraná. Uma pessoa foi presa em flagrante pela suspeita dos crimes de posse ilegal de arma de fogo e receptação. Dois servidores do órgão foram afastados dos cargos.

A operação é coordenada pelo Departamento de Combate à Corrupção (Deccor). De acordo com a Polícia Civil, pelo menos 1.500 CNHs foram emitidas de forma fraudulenta.

Segundo as investigações, a prática do crime consistia em inserir dados falsos diretamente no sistema do Departamento Estadual de Trânsito (DETRAN/RN), emitir a CNH e dificultar a identificação da fraude. A maioria das carteiras de habilitação emitidas por meio do processo fraudulento foram concedidas a pessoas analfabetas ou que não apresentavam condições de aprovação em todos os exames. Os valores das propinas variavam.

As fraudes aconteceram no ano de 2018 e as investigações estão ocorrendo há, aproximadamente, 1 ano e 6 meses.

Publicidade

A apuração contou com a parceria do Detran/RN, que forneceu à polícia acesso direto ao sistema RENACH e aos dados cadastrais dos condutores, além de terem realizado auditorias no sistema para identificação das fraudes.

A Polícia Civil informou que foi constatada a participação de três ex-coordenadores, dois “atravessadores”, dois proprietários de autoescola e dois servidores do DETRAN , dentre eles, um examinador.

Os ex-coordenadores serão investigados pelos crimes de inserção de dados falsos em sistema de informação da Administração Pública e corrupção passiva. Já os servidores serão investigados pelo crime de corrupção passiva. Os “atravessadores” e donos de autoescola responderão por corrupção ativa.

Fraudes no Detran

Em fevereiro deste ano a Polícia Civil deflagrou uma operação que investigou fraudes no Detran envolvendo vistoria de veículos. À época, cinco servidores do Detran foram afastados. De acordo com a Polícia Civil, os envolvidos cobraram valores variados, de até de R$ 1 mil reais, dos usuários, para antecipar as vistorias nos veículos, para que os servidores "não notassem" alguma irregularidade, ou até mesmo aprovar veículos que sequer estavam no estado.

Do G1 RN

0 Comentários