About Me

Sem contrato, viaturas e ambulâncias têm abastecimento limitado no RN

 

Foto: Geraldo Jerônimo/Inter TV Cabugi

As viaturas e ambulâncias do Rio Grande do Norte estão com abastecimento limitado por conta do fim do contrato com a fornecedora BR Distribuidora de Combustíveis. De acordo com a Secretaria do Estado de Administração (Sead), o contrato encerrou no último dia 31 de agosto após um ano de vigência.

Segundo a pasta, atualmente o posto localizado em frente ao Centro Administrativo, em Natal, atende com o último estoque de combustível, que foi recebido na terça-feira (1). O pedido do estoque foi feito no dia anterior, último dia de vigência do contrato.

Atualização: No fim da tarde desta quarta-feira (2), a Sead informou que assinou um contrato emergencial com a BR Distribuidora e que assim "todos os postos de combustíveis credenciados voltam a funcionar normalmente para abastecimento da frota do Estado".

Publicidade

A reportagem da Inter TV Cabugi esteve no posto nesta quarta e o abastecimento estava sendo limitado entre 20 e 40 litros a depender do tipo de veículo. Alguns carros saíram do interior do estado para fazer o abastecimento na capital.

A Secretaria de Administração explicou, no entanto, que os veículos destinados ao enfrentamento da Covid-19 na Região Metropolitana de Natal estão sendo abastecidos por "outro sistema, em outro posto" de Natal desde 1 de agosto, "mediante contrato de doação celebrado entre a Petrobrás e o Governo do Estado ainda em julho".

 Foto: Geraldo Jerônimo/Inter TV Cabugi

A Sead reforçou que os veículos da Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) que atendem em outras regiões do RN "estão sendo abastecidos mediante ações do próprio órgão, junto aos postos fornecedores, de forma a evitar qualquer tipo de interrupção no fluxo de abastecimento".

O mesmo tipo de acordo tem garantido combustível para veículos dos órgãos de segurança pública, que englobam as polícias Militar, Civil e o Instituto Técnico-Científico de Perícia (Itep), além de outras pastas, segundo explicou a Sead.

De acordo com a secretaria, um novo processo licitatório foi iniciado ainda em 2019, mas, "por se tratar de uma atividade complexa, a Procuradoria Geral do Estado determinou algumas diligências no sentido de ampliar a possibilidade de um maior número de empresas participarem do certame licitatório". Em 17 de agosto, a licitação deu "deserta" com apenas uma empresa participante e, que segundo a Sead, "não atendeu a todos os requisitos da licitação".

Do G1 RN

0 Comentários