Header Ads Widget

Menino de 9 anos é a primeira criança vacinada contra Covid no RN


O menino Émerson Miguel Neves da Rocha, de 9 anos de idade, foi a primeira criança a ser vacinada contra a Covid no Rio Grande do Norte.

Ele recebeu a dose do imunizante em um ato simbólico promovido pelo governo do RN neste sábado (15) na Unidade Básica de Saúde (UBS) Amarante, no município de São Gonçalo do Amarante, Grande Natal.

O garoto Émerson Miguel comemorou o momento. "É muito importante tomar a vacina, porque o coronavírus é aquela 'doença da praga'", falou o menino.

Logo após, outras três crianças foram vacinadas no ato simbólico na UBS.

Início da vacinação

A vacinação em crianças entre 5 e 11 anos de idade começou neste sábado no RN em um ato simbólico.

Na manhã da sexta-feira (14), o estado recebeu do Ministério da Saúde o primeiro lote de vacinas contra a Covid para crianças, com 20.900 doses.

O município de Natal ainda não definiu quando começará a aplicação na capital potiguar. Na sexta, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) informou que vai capacitar os vacinadores para o público infantil na segunda-feira (17) e só depois definirá a data de início da vacinação.

A capital potiguar tem a estimativa de 77.341 crianças entre 5 e 11 anos de idade e recebeu a maior quantidade de vacinas desse primeiro lote, com 4.550 doses.

O primeiro lote foi distribuído na tarde desta sexta-feira (14) para os municípios, saindo da Unidade Central de Agentes Terapêuticos (Unicat), em Natal.

Orientação

Por ser um baixo quantitativo de vacinas recebidas no primeiro lote perto da quantidade estimada do público-alvo, que é de aproximadamente 350 mil crianças, a orientação da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) é que a vacinação comece por aquelas com comorbidades ou deficiência permanente.

A pasta orienta que após a vacinação desse público, os municípios devem seguir o escalonamento da vacinação por idade crescente, iniciando com as crianças de 5 anos.

Vacinação

Segundo a Sesap, pais ou responsáveis devem acompanhar as crianças ao local de vacinação, manifestando sua concordância com a vacinação. Segundo o governo, também é importante que seja feito o cadastro da criança como dependente na plataforma RN+ Vacina.

Em caso de ausência de pais ou responsáveis, a vacinação deverá ser autorizada por um termo de assentimento por escrito.

Do G1

Postar um comentário

0 Comentários